Política

Renan Calheiros: “Governo conseguiu definir agenda mínima com Congresso”

O senador foi um dos articuladores do “jantar da paz” entre Maia e Guedes. Ele se diz otimista em relação ao teto de gastos

LUCIANA LIMA



Metrópoles

Um dos articuladores do “jantar da paz” entre o ministro da Economia, Paulo Guedes e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o senador Renan Calheiros (MDB-AL) avaliou nesta terça-feira (6/10) que o encontro permitiu ao governo alcançar o objetivo de estabelecer junto com o líderes no Congresso um acordo para uma “agenda mínima” de trabalho, a partir de agora.

Renan Calheiros se referiu à reunião ocorrida na casa de Bruno Dantas, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), na noite de segunda-feira (5/10). “A reunião para pacificar as relações entre o Congresso e a equipe econômica alcançou plenamente todos seus objetivos. A conversa demonstrou humildade e boa vontade de ambos os lados”, disse o senador.

“Foi acordada uma agenda mínima, que será previamente detalhada a partir de hoje entre o governo e os líderes partidários”, destacou.
Essa agenda envolve, de acordo com Calheiros, uma formulação para se viabilizar o novo programa social do governo, o Renda Cidadã, que Bolsonaro pretende lançar com o objetivo de substituir o Bolsa Família. A agenda mínima, segundo ele, também inclui as reformas administrativa e tributária.

1) A reunião para pacificar as relações entre o Congresso e a equipe econômica alcançou plenamente todos seus objetivos. A conversa demonstrou humildade e boa vontade de ambos os lados.

— Renan Calheiros (@renancalheiros) October 6, 2020

O senador também disse que fez sugestões para viabilizar as prioridades do governo. “Sugeri o corte de R$ 5 bilhões das emendas parlamentares, maior tributação dos salários de 50, 70, 100 mil, o fim dos supersalários públicos, já aprovado pelo Senado, além da qualificação dos gastos públicos”, escreveu o senador pelo Twitter.

5) Sugeri o corte de 5 bilhões das emendas parlamentares, maior tributação dos salários de 50, 70, 100 mil, o fim dos supersalários públicos, já aprovado pelo Senado, além da qualificação dos gastos públicos.

— Renan Calheiros (@renancalheiros) October 6, 2020

“Como senador da República cumpri uma missão institucional. A agenda será tocada pelos líderes. Estou indo para Alagoas e à disposição para novas contribuições. O Brasil merece o direito de viver em paz”, disse.

Calheiros apontou que o governo precisa discutir com os três poderes formas de articular o Renda Cidadã. “O tempo é escasso, mas a convergência obtida na reunião nos permite ser otimistas em relação as providências para manter a responsabilidade fiscal diante da crise que se avizinha”, postou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *