Política

Rui afirma que irá deixar R$ 550 mi para gestão JHC e não descarta filiação ao Podemos


Fillipe Lima/Alagoas 24 Horas

Ao fim de sua gestão que durou oito anos, o prefeito Rui Palmeira (sem partido) realizou seu último ato público a frente do executivo municipal de Maceió com assinaturas de projetos de saneamento e construção de uma creche, na manhã desta quarta-feira (30), no bairro do Clima Bom, na periferia da capital alagoana.

Em entrevista coletiva, Rui Palmeira fez um balanço de sua gestão e confirmou que a Prefeitura de Maceió deixará cerca de R$ 550 milhões para o próximo gestor, João Henrique Caldas (PSB).

“As obras aqui no Clima Bom foram iniciadas em setembro de 2019. Hoje nós temos prontas 70 ruas que receberam serviços de saneamento, drenagem, pavimentação e calçadas em um total de 130 aproximadamente. Então é com muita alegria que eu volto ao Clima Bom para ver o bairro completamente mudado, completamente urbanizado nesse trecho, que fica próximo de outro trecho aqui do lado, que é o Colina 2, que também já recebeu diversas melhorias. O Nova Maceió vai seguir e a gente vai deixar em caixa, aproximadamente, 270 milhões para que o prefeito João Henrique Caldas e sua equipe possam dar sequência a esse trabalho de urbanização”, disse.

Rui agradeceu seus secretários e assessores e também afirmou que sai da gestão com sentimento de frustração por não ter conseguido realizar todos os projetos que idealizou, como o De Frente Pra Lagoa.

“Muita coisa que a gente pensou e não conseguiu executar. O Nova Maceió a gente não conseguiu deixar as obras totalmente prontas como a gente gostaria, como ter entregue as 130 ruas do Clima Bom, mas estamos entregando 70. Temos muita coisa iniciada pelo Nova Maceió no Cidade Universitária, por exemplo. Tem o litoral norte todo para receber investimentos de um trabalho que a gente começou em 2015 e as obras elas só foram para rua quatro anos depois. A burocracia da Secretaria do Tesouro Nacional é infernal, tem coisas que parece que é feita para não acontecer, para atrapalhar as cidades, mas passamos por todo tipo de percalço, conseguimos vencer as etapas burocráticas. O importante é deixar esse investimento garantido para futura gestão e, claro, fico frustrado por não entregar o De Frente Para a Lagoa, mas deixamos a obra em andamento. As obras pararam por quase dois anos por conta de auditoria. Todas as obras que foram assinadas em dezembro de 2018 no governo Temer, foram suspensas pelo governo Bolsonaro, infelizmente demorou demais”, pontuou.

“Quero agradecer à nossa equipe de secretários, de assessores, de servidores, todos que colaboraram com a nossa gestão. Foram oito anos de muito trabalho, muito empenho e eu deixo a prefeitura de cabeça erguida, sem escândalo, sem operação de Polícia Federal, sem responder a nenhum inquérito. Estou bastante contente e aliviado sabendo que eu vou entregar prefeitura muito melhor do que recebi há 8 anos, com 280 milhões para investimentos na educação, 270 milhões em investimentos em infraestrutura, obras em andamento. Na área de habitação são sete mil unidades habitacionais que estão sendo construídas para a população mais carente de Maceió, somente aí são mais de 500 milhões em investimentos. Então deixo a prefeitura com a consciência absolutamente tranquila e gostaria de ter feito mais. Mas a nossa equipe, todos nós fizemos o possível e vamos deixar muita coisa positiva para a cidade”, complementou.

DESCANSO DA POLÍTICA

Ao final de sua gestão de oito anos como prefeito da capital de Alagoas, Rui Palmeira tem seu nome constantemente especulado como candidato ao governo estadual. Sobre esta possibilidade, o gestor afirmou que não irá discutir sobre seu futuro político até o início do segundo semestre de 2021. O chefe do executivo municipal, que segue sem partido desde sua saída do PSDB, pode ter o Podemos como sua próxima legenda.

“Eu estou pronto para tomar uma cerveja amanhã, para relaxar curtir minhas filhas, pegar uma praia, rever os bons amigos que há muito tempo eu não encontro. Acho que o momento é de realmente olhar um pouquinho para família, para pessoas queridas, minha mãe tá chegando de Brasília com minha irmã no dia 1° primeiro. Vou curtir um pouco realmente a família, pensar no meus projetos pessoais e a política vou deixar para o final do ano que vem. Eu acho que estou um pouco cansado, foram oito anos de muito trabalho, muita dedicação e agora eu quero realmente parar um pouco a política, a vida pública e voltar para alguns projetos pessoais na minha vida privada. O Podemos é uma alternativa, mas vou deixar um pouquinho o tempo passar, sobretudo, neste primeiro semestre. A gente vê lá pelo segundo semestre do ano o que a gente pode fazer”, finalizou Rui Palmeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *