Desenvolvimento

Seduc vai entregar cartões digitais para compra de kits de merenda destinados a estudantes da rede de ensino de Alagoas

Cartões serão entregues para representantes das 13 Gerências Regionais de Educação do estado durante solenidade nesta sexta (16). São eles que vão usar o crédito para comprar os alimentos e repassar para os estudantes.

Ascom/Seduc


Por G1 AL

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) vai entregar nesta sexta-feira (16) cartões digitais para as 13 Gerências Regionais de Educação (Geres) do estado, totalizando R$ 1,7 milhões em forma de crédito. Com os valores recebidos cada gerente vai poder comprar os alimentos e preparar os kits de merenda escolar que serão repassados para os estudantes da rede estadual de ensino.

Os cartões serão entregues durante uma solenidade que vai ocorrer no gabinete da Seduc, a partir das 10h, no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (CEPA), no bairro do Farol, em Maceió. O valor destinado é proveniente de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

“Com o cartão, os gestores farão a compra da merenda e pagarão automaticamente, o que antes era efetuado com cheques. Cada escola receberá um crédito, de acordo com o número de alunos. O uso do cartão facilita a compra e agiliza a prestação de contas também, pois, no final de cada mês, eles recebem uma fatura sabendo o que gastaram”, disse a superintendente de rede da Seduc, Roseane Vasconcelos.

Garantia do fornecimento foi determinação da Justiça
Desde março as aulas presenciais foram suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus. Para ajudar nas refeições os estudantes chegaram a receber kits de merenda. Em julho o governo anunciou a liberação de um auxílio alimentação que seria depositado em conta bancária ou pago junto com o cronograma de pagamento do bolsa família.

Em setembro, pais de alunos denunciaram à reportagem do G1 que não receberam o auxílio, no valor de R$ 50, durante dois meses e que para muitos a merenda escola era a única refeição do dia.

Diante das denúncias, o Ministério Público do Estado (MP-AL) moveu uma ação contra o estado para que a alimentação fosse fornecida. A Justiça determinou que o governo do Estado garantisse a continuidade do fornecimento de alimentação escolar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *