COVID-19

“Todos devem tomar a vacina, mesmo quem já teve covid-19”, orienta infectologista

Médica infectologista, Dra. Vania Pires, fala sobre a vacinação contra a Covid-19

Flaviana Costa


André Pepes entrevista a médica infectologista Dra. Vania Pires / Foto: NN1
No Programa Saúde em Foco, transmitido pela Rádio 91 FM, nesta quinta-feira (07/01), André Pepes entrevistou a médica infectologista Dra. Vania Pires, que falou sobre a vacinação contra a Covid-19 e o aumento de infectados por coronavírus no Brasil e em Alagoas.

De acordo com a Dra. Vania Pires, todos devem tomar a vacina contra a Covid-19. “Mesmo quem já teve Covid precisa tomar a vacina, porque nós ainda não sabemos até que ponto quem já teve pode estar imune ou não, e já existem casos de pessoas que foram infectadas pela segunda vez”, ressaltou.

A infectologista observa que, para a vacinação contra a Covid-19 no Brasil, provavelmente, serão adquiridas várias vacinas dessas que estão sendo produzidas. “Não será apenas a Coronavac ou a da Pfizer/BioNTech, porque vai depender da disponibilidade dos laboratórios que estão produzindo”, apontou a Dra. Vania Pires.

A médica destaca que não existe nenhuma contraindicação para as vacinas contra a Covid-19, ou seja, pessoas com doenças crônicas graves, como câncer, podem e devem tomar a vacina. “Logicamente, quem tiver com a saúde boa, responderá melhor à vacina, ou seja, a vacina será mais eficaz do que para uma pessoa que esteja com a saúde debilitada por causa de uma doença crônica”, explicou a Dra. Vania Pires.

Segundo ela, quando um estudo mostra que a eficácia de uma vacina está acima de 60%, essa vacina pode ser considerada boa. Quanto às reações que algumas pessoas estão apresentando ao tomar a vacina nos países onde a vacinação já começou, a médica explicou que essa reação é chamada anafilaxia, trata-se de uma reação alérgica que pode ocorrer com qualquer vacina e é tratada na sala de vacinação, por isso, os técnicos que irão aplicar as vacinas devem estar treinados para agir, caso alguém tenha essa reação. “É bom ressaltar que a anafilaxia é algo muito raro, raríssimo, eu nunca vi isso acontecer”, frisou.

Em relação ao aumento dos casos de infecção por coronavírus, a infectologista acredita que se deve ao descuido da população, que relaxou após a abertura da economia, comemorou o Natal e Réveillon em meio à aglomerações e agora estamos sofrendo as consequências. “A diferença é que essa segunda onda de contaminação por coronavírus está atingindo mais os jovens, que são mais resistentes ao vírus, por isso, o número de óbitos ainda está baixo”, avaliou a Dra. Vania Pires.

A médica salientou que e população precisa se cuidar, porque a pandemia pode voltar ao patamar de antes e daí o governantes poderão tomar medidas mais rígidas, como o fechamento do comércio ou até o lockdown.

Para acompanhar o Saúde em Foco ao vivo, acompanhe a 91 FM, de segunda a sexta, às 13h. Para ouvir o programa acesse o perfil no Spotify clicando aqui. Acompanhe o programa também nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *